terça-feira, 11 de maio de 2010

Como investir com segurança na bolsa de valores

Por: Juliano Lima Pinheiro

A maioria dos investidores, quando vai comprar ou vender ações, decide baseado nas seguintes razões: recomendação de um operador (corretor), um familiar ou um amigo, sua própria experiência no mercado de capitais e informação que vê ou lê sobre o comportamento de uma determinada empresa. Os motivos que levam um investidor a tomar esse tipo de atitude são: a falta de conhecimento sobre o que são ações, seus tipos e direitos, como ocorrem os ganhos com ações, a diferença entre preço versus valor, o que é governança corporativa, como se analisam as ações e como é a forma de investimento..

É importante salientar que os ganhos relacionados com ações ocorrem somente através da propriedade e através da comercialização. Os ganhos através da propriedade são resultantes da manutenção das ações de empresas lucrativas que distribuem seus resultados aos acionistas em forma de dividendos. Estes ganhos não são vinculados ao desempenho dos preços das ações no mercado, mas sim, ao desempenho da empresa em seu segmento.

Os ganhos resultantes da comercialização referem-se à diferença de preços entre a compra e venda das ações. Um exemplo é quando compramos um papel por R$ 10,00 e o vendemos por R$ 12,00. Neste caso, houve um ganho de R$ 2,00 por cada ação negociada. O problema da busca por este tipo de ganho é quando as expectativas de alta não se concretizam e ocorrem perdas resultantes da venda das ações a preços abaixo dos adquiridos.

Para o investidor que deseja segurança a análise fundamentalista é um importante instrumento. Por meio da avaliação de tópicos que se relacionam com o desempenho da empresa, ela possibilita a conclusão sobre suas perspectivas. Esta análise utiliza os fundamentos econômico-financeiros para a determinação do valor da empresa.

O principal objetivo dessa análise é avaliar o comportamento da empresa visando à determinação do valor dela. Ela parte do princípio de que as ações têm valor real, que está associado com a performance da companhia emissora e com a situação geral da economia. São estudados os fatores que explicam o valor real de uma empresa, setor ou mercado, colocando em segundo plano os fatores de mercado, como preço e volume. Esses fatores são chamados de valores fundamentalistas.

Para esta análise, é adotada a hipótese de que o mercado de capitais é eficiente a longo prazo, podendo ocorrer ineficiências na valorização a curto prazo, que seriam corrigidas ao longo do tempo. O processo decisório dessa escola de análise de investimento envolve o cálculo do valor hipotético da empresa, que corresponderia a seu “preço justo” em determinado momento, e, pela comparação desse com seu preço de mercado, seleciona para investimento a empresa com menor relação valor real/preço de mercado

Fonte! Chasque publicado no dia 5 de maio de 2010 no sítio (blog) Papo de Bolsa - http://www.papodebolsa.com/, que teve como fonte o Moneyletter (Expo Money)