terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

Imposto de Renda: descubra como a Receita consegue saber (quase) tudo sobre você

Saiba quais são as sete principais fontes de informações para descobrir quase tudo sobre as movimentações financeiras dos contribuintes

Não se engane: a Receita Federal sabe muito sobre você. (Foto: Freepik)
Quem abriu a declaração pré-preenchida do Imposto de Renda em algum momento deve ter ficado impressionado com a quantidade de informações que a Receita Federal tem sobre cada um de nós. Dados de rendimentos, deduções, bens, direitos, dívida e até mesmo de imobiliárias ou serviços médicos aparecem preenchidos, apenas à espera da confirmação do contribuinte. Mas a pergunta que fica é: como a Receita Federal descobre sonegação?

A resposta está no cruzamento de dados financeiros e fiscais que a Receita realiza, informa a advogada Daniela Poli Vlavianos, sócia do escritório Poli Advogados. “Este cruzamento tem o objetivo de garantir a precisão das informações declaradas e também combater a sonegação fiscal”, explica.

De acordo com a advogada, este processo se vale de diversas fontes de informação. Desse modo, cada uma destas fontes contribui com dados específicos sobre a situação econômica e fiscal dos indivíduos e empresas.

Quais são as fontes de informações da Receita?

Atualmente, são sete as principais fontes de informações que a Receita usa para saber muito sobre as movimentações financeiras dos contribuintes. Confira:

1. Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF): Pessoas físicas e jurídicas que realizam pagamentos a pessoas físicas e retenções de Imposto de Renda devem enviar os dados para a Receita todo ano, até o último dia útil de fevereiro.

2. Declaração de Informações sobre Atividades Imobiliárias (DIMOB): Fornece detalhes sobre transações imobiliárias, ajudando no controle de operações de compra, venda e locação.

3. Declaração de Operações com Cartões de Crédito (DECRED): Revela movimentações financeiras realizadas por meio de cartões de crédito, permitindo a verificação de gastos e receitas.

DMED é uma das fontes de cruzamento da Receita. (Foto: Freepik)

4. Declaração de Serviços Médicos e de Saúde (DMED): Informa pagamentos por serviços de saúde, auxiliando na verificação de despesas médicas declaradas.

5. E-Social e CAGED: Oferecem dados sobre empregos, salários e movimentações de funcionários.

6. Nota Fiscal Eletrônica (NFe) e Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFCe): Documentam compras e vendas de mercadorias e serviços.

7. E-Financeira: Por meio desse documento, a Receita Federal recebe os dados das instituições financeiras e de pagamento, empresas de leasing, de previdência complementar, corretoras e distribuidoras de valores mobiliários, seguradoras, sociedades de crédito, financiamento e investimento, e consórcios, entre outras.

Além desses, a Receita realiza o cruzamento de dados com outros órgãos e entidades, tanto nacionais quanto internacionais, ampliando ainda mais o escopo de sua fiscalização, explica Daniela.

Entendeu como a Receita sabe muito sobre cada um antes mesmo da declaração do Imposto de Renda?

Cerco às fraudes

Houve um tempo em que as declarações eram entregues em formulários de papel. Assim, muitos contribuintes, de forma desonesta, acabavam colocando dados que não eram reais para aumentar a restituição do Imposto de Renda. Com o cruzamento de informações online, esta prática se torna cada vez mais difícil.

Uma das maneiras mais comuns de fraudar as informações ao Fisco era quando pai e mãe incluíam o mesmo filho como dependente, prática proibida pela Receita. Como as crianças normalmente não tinham CPF, ficava difícil para o órgão público perceber o engodo.

Mas hoje em dia essa prática não é mais possível, afirma o consultor tributário David Soares, da IOB. “Assim que nasce, a criança já recebe um CPF. E, além disso, o programa atualmente só permite incluir dependentes e alimentandos se o titular informar este número. Caso contrário, não entra na declaração”, explica.

Outras fraudes que ocorriam quando o cruzamento de informações não era tão preciso era a inclusão de pagamentos com médicos ou dentistas que não haviam sido efetivamente realizados, por exemplo. Mas a criação da DMED dificultou esse tipo de artifício.

Como evitar problemas com o Fisco?

Para evitar problemas com o Fisco e não ingressar na “roda de cruzamento de dados” de forma negativa — ou seja, cair na malha fina — é fundamental que os contribuintes mantenham suas declarações e informações fiscais sempre precisas e atualizadas.

Isso significa declarar corretamente todos os rendimentos, posses, dívidas e despesas dedutíveis, além de manter documentação comprobatória para todas as transações e declarações feitas por pelo menos cinco anos.

A honestidade e transparência nas informações fornecidas à Receita são as melhores práticas para evitar a malha fina e possíveis penalidades, garantindo uma relação tranquila com as obrigações fiscais

Daniela Poli Vlavianos, sócia do escritório Poli Advogados

“Com o monitoramento quase que em tempo real das atividades econômicas dos contribuintes, transparência e a exatidão na hora de declarar informações fiscais não são apenas uma obrigação legal, mas a única maneira de garantir a conformidade e evitar problemas com a fiscalização, refletindo a realidade de que, no mundo atual, os atos de cada cidadão estão sob escrutínio fiscal constante”, diz.

Veja mais dicas da Inteligência Financeira sobre o Imposto de Renda:

Quem precisa declarar o Imposto de Renda 2024?

Saiba quais documentos são necessários para fazer a declaração do Imposto de Renda 2024

Como recuperar a declaração do Imposto de Renda do ano passado?

Como declarar aposentadoria e pensão no Imposto de Renda 2024?

Como declarar os ativos de renda variável no Imposto de Renda 2024?  

Fonte! Chasque (post) da jornalista Sophia Camargo, publicado no dia 24 de fevereiro de 2024 no sítio Inteligência Financeira: https://inteligenciafinanceira.com.br/financas/imposto-de-renda/imposto-de-renda-entenda-como-a-receita-sabe-sobre-voce/?fbclid=IwAR3klt7ELkjk9zptx5WAQP18aiJV6lW5XghPMSc402s3yduAJ3fJpq0a1oo


terça-feira, 3 de outubro de 2023

Sonha com R$ 1.000 mensais do Tesouro? inicie com este investimento

Créditos!  https://blog.stimper.com.br/tesouro-direto/


Veja quanto é necessário investir para lucrar R$ 1 mil por mês basicamente sem trabalhar, deixando seu dinheiro fazer o trabalho duro por você.

Mas, para a felicidade de quem já tem algum dinheiro na conta, existe a possibilidade de investir valores já adquiridos e deixar que o seu dinheiro trabalhe por você, vivendo apenas com os frutos da sua inteligência.

Acontece que nem todos consideram investir em ações de risco ou no mercado diário, mas, mesmo assim, gostariam de ter uma opção de renda passiva e fixa, de modo que seja possível calcular exatamente o resultado. Felizmente, isso existe e é sobre esses investimentos que falaremos a seguir.

Afinal, quanto é preciso investir no Tesouro para receber R$ 1 mil por mês?

Inicialmente, já trazemos as más notícias para quem deseja investir no Tesouro Direto. Nos últimos dois meses, a taxa Selic, que é a base dos juros, sofreu uma queda de um ponto percentual, passando de 13,75% para 12,75% ao ano, o que dificulta os retornos da aplicação.

Mesmo assim, é possível calcular o investimento necessário para ter direito a R$ 1 mil todos os meses, apenas com o árduo trabalho do seu dinheiro. Veremos quanto é preciso ter no Tesouro para que isso aconteça.

Tesouro IPCA

O Tesouro IPCA paga seus juros semestralmente, não mensalmente. Ainda assim, é possível calcular uma média de quanto seria necessário investir para assegurar uma renda mensal de mil reais. Esse valor é de R$ 150 mil, sem levar em consideração a inflação, ou R$ 296 mil, com a inflação já descontada.

Tesouro Prefixado

Assim como o IPCA, o Prefixado possui juros semestrais. Portanto, para garantir R$ 6 mil por semestre, ou seja, R$ 1 mil por mês, é necessário investir R$ 220 mil, descontando a inflação, ou R$ 127 mil, sem considerá-la.

Tesouro Selic

Agora, a única opção do Tesouro Direto com resgate a qualquer momento, mesmo que não tenha vencido. Para garantir o retorno de mil reais por mês, é preciso investir R$ 114 mil, desconsiderando a inflação, ou R$ 185 mil, levando-a em conta.

Então, qual escolher?

Analisando os valores de maneira objetiva, a melhor escolha seria o Tesouro Prefixado, pois exige um investimento menor para retornar o valor que estabelecemos como base. No entanto, é necessário considerar o retorno semestral e a incerteza em relação às taxas de juros e à inflação.

Então, a resposta é que não existe uma solução universal, já que cada uma das opções listadas pode se adequar melhor ao estilo de vida individual. Por isso, é sempre indicado estudar muito bem antes de investir qualquer quantia. 

Fonte! Chasque publicado no sítio Capitalist, por Bruna Machado, em 29 de setembro de 2023: https://capitalist.com.br/sonha-com-r-1-000-mensais-do-tesouro-inicie-com-este-investimento/


segunda-feira, 2 de outubro de 2023

Melhora Financeira! Aposentados Terão Salário Reajustado – Consulte o Novo Valor Anunciado para o próximo ano. Veja agora

Reajuste salário INSS tem valor projeto para o próximo ano e anima aposentados. Saiba mais informação aqui!

Ótima notícia! Governo federal confirmou reajuste no salário dos aposentados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e valor surpreende. Veja em seguida mais informação sobre esse aumento nos benefícios!

No final do mês de agosto, em uma cerimônia que aconteceu no Palácio do Planalto, o presidente Lula (PT), assinou o Projeto de Lei de Conversão (PLV) n.° 15/2023 que confirma a política de valorização do salário mínimo nacional.

Além disso, a proposta define o aumento da faixa de isenção do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) já em 2023. Essas medidas, trazem mudanças significativas no salário de benefício dos aposentados do Instituto. Continue conosco!

CLIQUE AQUI e receba as PRINCIPAIS NOTÍCIAS do JORNAL JF pelo WhatsApp

Política de valorização afeta reajuste de salário do INSS

Reajuste salário INSS tem valor projeto para o próximo ano e anima aposentados. Saiba mais informação aqui! (Fonte/Edição: Jornal JF).
Reajuste salário INSS tem valor projeto para o próximo ano e anima aposentados. Saiba mais informações aqui! (Fonte: Edição / Jornal JF).

Posteriormente a aprovação do Congresso Nacional sobre a implementação da política de valorização do salário nacional, o INSS deve implementar essa mudança em 1.° de janeiro de 2024.

Devendo o governo levar em conta duas regras para essa correção, ou seja, a inflação registrada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do último ano e o aumento real do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo ano anterior.

Mas, existe a possibilidade do PIB fechar negativo, caso isso aconteça, segundo o governo federal, o INPC vai ser o critério para definição da correção do salário nacional. A seguir, você confere trecho da fala do Ministro da Fazenda, Fernando Haddad:

“Os trabalhadores do nosso país ficaram exatos sete anos sem um centavo de ganho real do salário mínimo e sem ver a tabela de Imposto de Renda atualizada como está sendo feito hoje pelo presidente Lula, que desonera de pagamento de Imposto de Renda os trabalhadores que ganham até dois salários mínimos.”

Bem como, destacou que: “o trabalhador volta a estar no centro das nossas atenções. É uma sinalização clara de que todos aqueles que vivem do seu trabalho terão uma atenção especial.”

Leia em seguida: OFICIAL: Valores Esquecidos Estão Liberados para Saque – Descubra Como!

Dessa forma, com a implementação da política de valorização no reajuste do salário aos aposentados do INSS, o governo visa manter o poder de compra dessas pessoas e prosperar a economia do país.

Vale destacar que até o mês de abril, o piso era de R$ 1.302, subindo para R$ 1.320 em 1.° de maio. Devendo, a partir de 2024, acontecer a implementação das novas diretrizes para proporcionar, desse modo, ganho real no salário dos aposentados.

A estimativa é que no próximo ano, o salário chegue a R$ 1.461, mas esse valor pode mudar, pois o valor definido entra em vigor no dia 1.° de janeiro de 2024.

Leia mais: BENEFÍCIO BPC LOAS para IDOSOS! Veja passo a passo para solicitar

Reajuste de salário do INSS confirmado em 2024

Conforme haver o reajuste de salário pelo governo federal, acontece a correção do salário do INSS, não sendo diferente no ano de 2024. Portanto, havendo a correção do piso para R$ 1.461, a margem do empréstimo consignado também aumenta e novos valores de empréstimos são liberados.

Leia em seguida: Você pode receber AUMENTO de 25% no seu Salário – Saiba como receber agora

Nesse sentido, com base no salário de R$ 1.461, a margem possível liberada fica em torno de R$ 49,35 e o empréstimo consignado com valor superior a R$ 2.000. Permitindo que muitos consigam fazer novas contratações.

Fonte! Chasque (post) publicado no sítio Jornal JF, por Bruno Schmitd, em 25 de setembro de 2023: https://jornaljf.com.br/melhoria-financeira-aposentados-terao-salario-reajustado-consulte-o-novo-valor-anunciado-para-o-proximo-ano-veja-agora/

sábado, 30 de setembro de 2023

Pensão por morte: até quando pedir e por quanto tempo ela é paga?

Pensão por morte é um dos benefícios pagos pelo INSS.


O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é responsável por pagar um dos benefícios que mais sofreram alterações nos últimos tempos, a pensão por morte.

Atualmente, os dependentes têm até 90 dias depois do óbito do segurado do INSS para ter direito a receber a pensão, desde a data da morte. Enquanto isso, os filhos menores de 16 anos têm prazo maior, de 180 dias.

Vale destacar ainda que é possível pedir a pensão mesmo depois desses prazos. A diferença é que, para estes casos, os dependentes vão receber o pagamento apenas a partir da data de entrada no requerimento e não de forma retroativa.

Existem ainda situações em que a pensão só é liberada após decisão judicial. Isso é o que acontece nos casos de morte presumida, ou seja, quando uma pessoa é declarada desaparecida pela Justiça.

O pedido de pensão por morte pode ser feito por telefone, pela internet ou pelo celular. Para tanto, os dependentes podem usar o telefone 135, o site meu.inss.gov.br ou o aplicativo Meu INSS (disponível para Android e iOS).

Pré-requisitos

Dentre os pré-requisitos para o recebimento da pensão é que a mesma só será paga se falecido era segurado na data da morte, isto é, a pessoa que morreu teria que estar contribuindo para o INSS, ser aposentada ou estar em período de graça.

Para que o dependente tenha direito à pensão vitalícia deve-se:

  • O segurado falecido deve ter ao menos 18 contribuições mensais à Previdência;
  • A viúva ou viúvo precisa comprovar que o casamento tinha pelo menos dois anos;
  • Companheiros devem comprovar a união estável;
  • O ex-cônjuge precisa comprovar que dependia financeiramente do segurado;
  • Pensão pode ser dividida entre viúva (o) e ex;

Um ponto importante é que se o segurado era casado, mas ainda pagava pensão à ex, por exemplo, as duas têm direito de receber o benefício. Nesse tipo de situação, o valor da pensão é dividido "igualmente" entre a viúva e a ex, segundo explicou ao UOL Fernando Bosi, da Almeida Advogado.

Quanto dura a pensão?

A duração do pagamento da pensão por morte dependerá de três fatores:

  • Tempo de contribuição da pessoa que morreu;
  • Tempo do casamento ou da união estável;
  • Idade da(o) viúva(o) na data do óbito.

Caso o segurado falecido tivesse mais de 18 contribuições mensais à Previdência e estava casado ou em união estável há mais de dois anos, o prazo de duração da pensão dependerá da idade da (o) viúva (o) na data do óbito. Confira:

  • Menos de 22 anos: até 3 anos de pensão;
  • Entre 22 e 27 anos: 6 anos;
  • Entre 28 e 30 anos: 10 anos;
  • Entre 31 e 41 anos: 15 anos;
  • Entre 42 e 44 anos: 20 anos;
  • A partir de 45 anos: vitalícia.

Vale ainda dizer que os viúvos com menos de dois anos de casamento ou união não têm direito à pensão vitalícia. Para esse tipo de caso, a duração máxima do benefício é de quatro meses. 

A mesma situação vale para as situações em que o segurado tinha menos de 18 contribuições mensais à Previdência antes de morrer.

Com informações do UOL Economia

Fonte! Nós buscamos este chasque (post) no sítio Contábeis, ali publicado no dia 26 de setembro de 2023: https://www.contabeis.com.br/noticias/61574/por-quanto-tempo-a-pensao-por-morte-e-paga-pelo-inss/

terça-feira, 5 de setembro de 2023

Quer ser rico? Aqui estão os segredos que você precisa conhecer

Existem algumas coisas que podem facilitar o caminho para a riqueza e podem ser colocadas em prática por qualquer um.

Créditos! https://andrearaujo.com.br/os-3-niveis-do-querer-ser-rico/

Em uma sociedade competitiva como a nossa, coisas como status, poder e dinheiro são bastante valorizadas. De modo que muita gente se pergunta se existem maneiras mais fáceis de obtê-las. Não é à toa que podemos encontrar centenas de cursos, com supostos gurus que alegam conhecer o melhor caminho para alcançar metas.

Entretanto, apesar dos bens materiais poderem trazer conforto, possuí-los não quer dizer necessariamente que um indivíduo é realizado ou possui paz de espírito. Não é incomum encontrar pessoas ricas que são extremamente infelizes e insatisfeitas com a vida.

O que é ser rico?

Para alguns especialistas, ser rico de verdade vai muito além de apenas ter altos valores na conta bancária. A verdadeira riqueza seria algo bem mais profundo, que traria extrema sensação de gratificação para quem desfruta dela.

Ou seja, possuir boas conexões, ter experiências que tragam satisfação e alegria, sentir-se trabalhando para um propósito, poder contribuir para melhorar o mundo são bons exemplos disso. Agora, se você ainda não conseguiu entender esse conceito, nós vamos te explicar com mais detalhes!

Como realmente se tornar bem-sucedido?

Em suma, não existe uma fórmula mágica para ser rico, semelhante a uma receita de bolo. Na verdade, se pararmos para pensar, até as receitas exatas possuem suas variáveis. Por exemplo, alguém que vá cozinhar pela primeira vez, mesmo seguindo corretamente as instruções do papel, pode não ter bons resultados.

Agora, com prática, persistência e bons ingredientes, a pessoa vai melhorando até aperfeiçoar suas habilidades e finalmente obter algo que a agrade. Mas, existem alguns elementos que devem ser adotados para quem deseja se tornar financeiramente mais realizado.

A chave de tudo reside em primeiro lugar na educação financeira. Afinal, aprender como usar o seu dinheiro é fundamental para multiplicá-lo e fazê-lo durar mais. Consequentemente, é possível pesquisar sobre como ganhar mais e assim não se tornar mais um escravo dele, e sim fazer tal recurso trabalhar para você.

Uma vez que a escassez dessa ferramenta tenha sido eliminada, o indivíduo se torna mais livre para aproveitar a sua existência. Outra coisa que te auxiliará neste processo é se cercar de boas parcerias, pessoas que possuam objetivos alinhados com os seus e conhecimentos que te ajudarão a atingir seus objetivos.

Lembrando que, uma caminhada se torna menos penosa quando temos companhias que nos impulsionam cada vez mais para frente, então foque acima de tudo em criar boas conexões. Por fim, o equilíbrio é a chave para manter o seu “mundo” alinhado e em perfeito funcionamento.

Encontrar um balanceamento entre desfrutar do conforto que a riqueza traz e, ao mesmo tempo, não abusar das finanças, ajuda qualquer um a chegar ao topo. Resumidamente, ter um propósito realista, trabalhar duro, cultivar boas amizades e buscar conhecimento são os verdadeiros segredos para prosperar!

Fonte! Chasque (Post) publicado no Sítio Capitalist, no dia 28 de agosto de 2023, por Agência Trezeme. Abra as porteiras clicando em: https://capitalist.com.br/quer-ser-rico-aqui-estao-os-segredos-que-voce-precisa-conhecer/