segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Investir em fundos de ações é possível a partir de R$ 200

Investir em ações pode parecer coisa de outro mundo para muitos simples investidores, acostumados a aplicar na tradicional caderneta de poupança. No entanto, o mercado acionário pode atender a esse público, por meio dos fundos de ações oferecidos e administrados pelos bancos de varejo.

"A grande vantagem é que o cliente não precisa pagar taxa de corretagem (cobrada para compra e venda de ações) e taxa de custódia (cobrada mensalmente para ter uma conta na corretora). Além disso, não precisa ter conhecimento de mercado de ações para investir. O patrimônio é administrado por especialistas do banco e é uma opção para quem não tem tempo ou disposição para gerir seus investimentos", explica o consultor financeiro Josemar Lopes, da JP Investimentos.

A taxa de administração de fundos de ações da Petrobras e da Vale, por exemplo, vai de 1,5% a 4%. Neste tipo de aplicação, a pessoa física pode investir valores menores - o mínimo de investimento é determinado pelo fundo, mas começa em R$ 200 e pode chegar a R$ 1.000 nos principais bancos brasileiros. O dinheiro depositado nos fundos é convertido em cotas, que são atualizadas diariamente.

Lopes destaca que os fundos não têm limite de participantes. "Para os iniciantes, é importante verificar se o fundo é de uma empresa sólida. Também é possível conferir o histórico da rentabilidade do fundo, nos últimos 36, 24 e 12 meses, além do rendimento do ano, do mês e dia anterior. Isso é facilmente obtido nos sites dos próprios bancos, em tabelas de rentabilidades dos investimentos", afirma.

Para quem quer se aventurar em renda variável, as blue chips (papéis mais negociados)Petrobras e Vale são alternativas. As ações de ambas empresas são oferecidas por todos os bancos, inclusive os públicos Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil.

Na hora de resgatar o dinheiro, é fácil, porém investir em ações deve ser uma prática pensada a longo prazo, já que as oscilações podem ser grandes. "Os fundos têm liquidez diária e podem ser recuperados sem aviso prévio. O dinheiro cai na conta, geralmente, em quatro dias úteis após a solicitação", lembra o economista Jorge Sá Mendes Alvarez.

Ao consultar o saldo do investimento, o cliente já vê o valor com todos os custos deduzidos automaticamente, exceto o Imposto de Renda, que é de 15% sobre o rendimento e, portanto, é descontado no resgate, também de forma automática.

BLUE CHIPS

Além das ações mais negociadas na Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) - Petrobras e Vale - o investidor iniciante também pode optar por fundos de ações de bancos, como os papéis do Grupo Itáu, e também da Cielo (ex-Visanet), entre outras.

Quando o assunto é Petrobras, nos últimos 12 meses, as ações renderam cerca de 54%. Já na Vale, a rentabilidade sobe para até 88%. Para investir na Petrobras, bancos como Itaú-Unibanco, Santander, Banco do Brasil, Caixa, HSBC e Bradesco limitam a aplicação inicial entre R$ 200 (BB) e R$ 1.000 (Caixa, Bradesco e Itaú). Nos últimos 12 meses, as ações da Petrobras foram as mais negociadas na Bolsa, com 13,27% das transações.

Os fundos de ações da Vale também têm limites iniciais, que variam de R$ 300 (HSBC) e R$ 1.000 (Caixa, Bradesco e Itaú). Quanto aos valores de resgate e saldo mínimo, cada banco opera independentemente. Os papéis da Vale ficaram em segundo lugar entre os mais negociados na Bovespa nos últimos 12 meses, com 12,45%.

Fonte! Chasque publicado no Diário do Grande ABC (SP), no dia 17 de janeiro de 2010, por Cibele Gandolpho - http://www.dgabc.com.br/.