quarta-feira, 3 de março de 2010

Engano do INSS leva professor à malha fina da Receita Federal

Uruguaiana! Já dura três meses a peregrinação do professor de filosofia Jairo Emílio de Souza, de 46 anos, em busca da restituição do Imposto de Renda 2008/2009 no valor de R$ 560,00. Na agência bancária em que apresentou o documento, ele foi informado que o problema teve origem na Receita Federal (RF). Na delegacia deste órgão, Souza descobriu que a declaração havia caído na malha fina por não constar no documento original o lançamento de uma suposta aposentaria por invalidez recebida por ele do INSS, no valor de R$ 8.332,20 em 2008.

Surpreso, o professor explicou não ser aposentado ou inválido, pois leciona em duas escolas estaduais na cidade de Uruguaiana - Elisa Ferrari Valls e João Fagundes. A Receita encaminhou Jairo ao INSS que, por meio da gerência local, identificou o problema: um erro na digitação do CPF do beneficiário da aposentaria. Trata-se de um cidadão de Sete Lagoas, na região Metropolitana de Belo Horizonte (MG).

Souza teme o risco de ter seu nome comprometido por informações erradas, passível de sanções da RF, e ainda não poder receber a restituição. O INSS garantiu a ele que as providências foram tomadas. Entretanto, 90 dias depois a situação segue igual, com a data da devolução do Imposto de Renda a que o professor tem direito indefinida.

Fonte! Chasque publicado no dia 03/02/2010 no Correio do Povo de Porto Alegre - RS, no Caderno Cidades.

Crédito do retrato - MIGUEL CASTANINE / especial / CP