quinta-feira, 15 de maio de 2014

Banrisul lucra R$ 77,8 milhões no trimestre

Queda de 62% está relacionada a impactos causados por aposentadoria incentivada e previdência complementar
Zamin alerta que resultado do 2º trimestre
também será impactado
O lucro líquido do Banrisul no primeiro trimestre de 2014 foi de R$ 77,8 milhões (redução de 62% em relação ao mesmo período do ano passado). Já o lucro líquido ajustado atingiu R$137,9 milhões, uma diminuição de 32,6% em comparação com os três primeiros meses de 2013.

Os resultados financeiros do Banrisul foram impactados por ajustes estruturais promovidos na instituição. O desembolso para o pagamento do Plano de Aposentadoria Incentivada (PAI), destinado aos empregados com tempo de aposentadoria, e o início do processo de migração dos participantes do principal plano de previdência complementar da Fundação Banrisul de Seguridade Social (FBSS) para novos planos, gerou uma despesa adicional de R$ 98,1 milhões que refletiu no resultado do primeiro trimestre de 2014.

“O número pode não ser muito bom nesse momento, mas a gente está confiante que fez um bom balanço, porque, com esse movimento de ajuste, estamos preservando a estrutura patrimonial do banco”, afirma o presidente do Banrisul, Túlio Zamin. O dirigente acrescenta que a despesa com a reestruturação do plano de previdência não acabou ainda. Haverá uma última parcela que será contabilizada nos resultados do segundo trimestre. O montante está sendo calculado, contudo o executivo projeta que será um valor superior aos R$ 98,1 milhões. 

Mesmo sem levar em consideração a influência do plano de aposentadoria incentivada e a migração, Zamin admite que o resultado do Banrisul “descolou um pouco” quanto aos outros bancos. O dirigente explica que uma das causas foi a perda da condição diferenciada do Banrisul com a implantação da portabilidade. Em 2012, os funcionários públicos foram liberados para escolher o banco pelo qual iriam receber seus salários. Nesse contexto, o Banrisul não repassou aumentos de taxas de forma mais contundente, para manter seu mercado e combater a concorrência, principalmente, a da Caixa Econômica Federal. Zamin acrescenta que a Selic também cresceu muito rapidamente o que impacta a margem do banco em operações pré-fixadas, com taxas já definidas. 

Quanto aos outros números apresentados no balanço do Banrisul, a carteira de crédito ampliada atingiu saldo de R$ 28,4 bilhões em março de 2014, um incremento de 10,7% em comparação com o mesmo mês do ano passado. Destacaram-se nessa carteira os financiamentos de longo prazo com expansão de R$ 574,5 milhões, um crescimento de 41,5% em relação ao primeiro trimestre de 2013. O crédito rural agregou R$ 550,7 milhões, um incremento de 30,5% em relação ao mesmo período de 2013. Por sua vez, o crédito imobiliário registrou uma ampliação de R$ 463,7 milhões em doze meses, 19,7% acima da posição no mesmo período do ano anterior. O índice de inadimplência de 90 dias oscilou de 3,33% para 3,46% em 12 meses.

A receita de prestação de serviços foi de R$ 268,5 milhões, um crescimento de 26,8% nos três primeiros meses do ano em relação ao primeiro trimestre de 2013, com destaque para as transações com o Banricompras e cartões de crédito feitas nas máquinas da Vero, os vouchers (cartões de benefícios e empresariais) e os negócios com seguros, previdência e capitalização.

Ao final de março de 2014, os ativos totais do Banrisul alcançaram saldo de R$ 57,4 bilhões, com expansão de 20,5% em relação a março de 2013. Os recursos captados e administrados pelo banco totalizaram saldo de R$ 43 bilhões no período, volume 18,2% acima do montante registrado no mesmo mês do ano anterior. Já o patrimônio líquido da instituição atingiu R$ 5,2 bilhões, 8% acima da posição de março de 2013. O Banrisul possui, atualmente, uma base de cerca de 3,4 milhões clientes e 515 agências.


Fonte! Chasque (matéria) de Jeferson Klein, publicado nas páginas do Jornal do Comércio de Porto Alegre - RS, edição do dia 14 de maio de 2014. Retrato de Fredy Vieira / JC.