quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Endividamento das famílias alcança 59,8% em agosto

Declararam estar com dívidas em atraso 21,3% dos entrevistados, um leve avanço ante o mês anterior (21%)


Cresceu o número de famílias com dívidas a pagar, na passagem de julho para agosto, segundo a pesquisa "Endividamento e Inadimplência do Consumidor", realizada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC).

O patamar de 59,8%, o maior em 2012, foi a terceira alta consecutiva registrada pela pesquisa. Declararam estar com dívidas em atraso 21,3% dos entrevistados, um leve avanço ante o mês anterior (21%). Contudo, caiu o número de famílias que informaram não ter condições de pagar suas dívidas, de 7,3% em julho para 7,1% em agosto.

"O porcentual de famílias que relataram ter dívidas entre cheque pré-datado, cartão de crédito, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguros aumentou em agosto de 2012. Entretanto, o número de famílias endividadas continua em patamar inferior ao observado no mesmo período de 2011, quando 62,5% haviam declarado ter dívidas" informou a CNC, em nota oficial.

A confederação afirma que as medidas do governo de estímulo ao crédito e à aquisição de bens duráveis continuam exercendo impacto sobre o orçamento doméstico.

O cartão de crédito foi apontado como um dos principais instrumentos de prorrogação de pagamentos por 73,2% das famílias que afirmaram ter dívidas. Em seguida, vieram os carnês, com 18,9% do total, e o financiamento do carro, com 12,4%.

O endividamento é maior entre as famílias inseridas na faixa de renda inferior a dez salários mínimos, com índice de 61,1%, ante 58,6% registrados em julho. Já entre as que possuem renda superior a dez salários mínimos, a taxa passou de 50,5% em julho para 53,6% em agosto. O aumento do porcentual de famílias com contas ou dívidas em atraso entre os meses de julho e agosto ocorreu apenas na menor faixa de renda. Para este grupo de consumidores, a taxa passou de 22,4% em julho para 23,7% em agosto.

Também foi o grupo de menor faixa de renda que afirmou ter menos chances de pagar as contas em atraso. O indicador passou de 8% em julho para 8,4% no mês seguinte.
A pesquisa da CNC revela ainda que o tempo médio de atraso no pagamento das contas foi de 58,4 dias em agosto. O porcentual médio de comprometimento com dívidas de até três meses foi de 27,3% e, de até um ano, de 27,2%. Em agosto, a parcela média da renda das famílias comprometida com dívidas foi de 29,6%, dos quais 17,4% correspondentes a dívidas que tomam mais da metade do orçamento doméstico.

Fonte! Chasque publicado na página eletrônica do jornal Zero Hora de Porto Alegre (RS). Abra as porteiras: http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/economia/noticia/2012/08/endividamento-das-familias-alcanca-59-8-em-agosto-3867508.html.

............................................................................

Nota do sítio O Bolso da Bombacha!

Como não existe, infelizmente, barreira para a tentação dos parcelamentos, até de gêneros alimentícios, sugiro três tentativas para sair desta "calamidade" financeira:

1 - Educação Financeira - é o começo de tudo, pois, a partir do momento que tu começas a estudar um pouco sobre economia doméstica, com algumas palestras, e/ou cursos, vais mudar de atitude, começando com o orçamento doméstico no teu rancho (tua casa; tua família);

2 - Banir TODOS os cartões que te levam para o caos (os cartões de crédito). Faça suas compras sem impulso, à vista, se for extritamente necessária e com descontos;

3 - Um comparativo: as pessoas que fazem regime, fecham a boca e as pessoas que querem sair das dívidas, devem fechar o bolso da bombacha, levando sempre em consideração que nunca se deve gastar mais do que se ganha (faça o inverso e invista pensando nas compras à vista e em investimentos financeiros, inclusive para fins de aposentadoria complementar).

Estou realmente pasmo, pois chasque (notícia) como este acima, leio mensalmente, e o endividamento aumenta cada vez mais nas famílias gaúchas e brasileiras. Dívida é dor de cabeça, stress familiar e até separações conjugais.... E tudo isso pode ser evitado.

Baita abraço

Valdemar Engroff - o gaúcho taura