terça-feira, 4 de setembro de 2012

Caderneta de poupança nova rende 15% menos do que a antiga

Diante de outras alternativas no mercado, caderneta ainda é considerada atrativa para pequeno aplicador

Caderneta de poupança nova rende 15% menos do que a antiga Adriana Franciosi/Agencia RBS
Aplicação ainda é melhor opção para quem quer juntar dinheiro           
Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

 
Com a queda da taxa Selic para 7,5% ao ano semana passada, as cadernetas de poupanças novas, com depósitos a partir de 4 de maio, passaram a ter um rendimento 15% menor em comparação às aplicações anteriores àquela data.
 
Apesar da rentabilidade inferior, a tradicional forma de guardar dinheiro do brasileiro segue atrativa principalmente para pequenos poupadores.
 
– A poupança antiga é imbatível e mesmo a nova é a melhor opção para aplicações até em torno de R$ 50 mil – avalia Miguel José Ribeiro de Oliveira, vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), comparando a poupança com modalidades como CDB, fundos de renda fixa e Tesouro Direto.
 
Enquanto a poupança antiga tem ganho garantido de 0,5% ao mês mais a Taxa Referencial (TR), a aplicação nova passou a render 70% da Selic mais TR. A regra teve como gatilho a queda da Selic para 8,5% em maio. Entre os trunfos da caderneta está a isenção do Imposto de Renda e as taxas que incidem nas aplicações concorrentes.
 
Comparações feitas pela Anefac mostram que os fundos de renda fixa, só batem a nova poupança com taxas de administração de até 1% ao ano e prazo de resgate a partir de 12 meses. No caso do CDB, lembra Oliveira, o aplicador teria de conseguir com o banco remuneração de pelo menos 85% da Selic para garantir igual retorno da poupança.
 
Para José Dutra Vieira Sobrinho, professor de matemática financeira do Insper, outra opção interessante – mas ainda pouco usada – é o Tesouro Direto. A rentabilidade bruta é próxima da Selic e, como as taxas de administração costumam ser mais baixas, é possível ganhar dos fundos e, em alguns casos, até da poupança, aponta.
 
Com o país ingressando em uma era de juro mais baixo, o brasileiro terá de adquirir o hábito de pesquisar a fundo os melhores produtos financeiros, avalia o coordenador do centro de estudos em finanças da Fundação Getulio Vargas (FGV), William Eid Júnior.
 
– Antes, era muito fácil ganhar acima da inflação. Hoje não é mais, e existe até a possibilidade de rentabilidade negativa – observa Eid, devido à inflação ao redor de 5,5% ao ano.
AS DIFERENÇAS

Qual o ganho de uma aplicação de R$ 10 mil por 12 meses (projetando Selic estável de 7,5% ao ano):

Poupança antiga: R$ 617
Poupança nova: R$ 525
FI com taxa de 0,5%: R$ 579
FI com taxa de 1%: R$ 554
FI com taxa de 1,5%: R$ 516
FI com taxa de 2%: R$ 491
FI com taxa de 2,5%: R$ 453
FI com taxa de 3%: R$ 428
 
Fonte: Anefac
 
 
 
Fonte! Chasque de Caio Cigana - caio.cigana@zerohora.com.br, publicado no portal Clic RBS (Economia), no dia 04 de setembro de 2012. Abra as porteiras: http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/economia/noticia/2012/09/caderneta-de-poupanca-nova-rende-15-menos-do-que-a-antiga-3874443.html .