domingo, 24 de outubro de 2010

Atitude 33! Agir como um CTG ou como uma Sociedade Anônima?

Bueno! Boleio a perna para mais um dedo de prosa com os gaúchos de todas as querências bem como com os brasileiros em geral.

 Vamos comparar um CTG com uma S/A. E ver o que dá para levar para a vida pessoal. Te alcanço a cuia de mate e vamos lá:

Templo sagrado ao culto às tradições Gaúchas: galpão do CTG Amaranto Pereira - Alvorada/RS

1 - CTG! Os tradicionalistas do meu Rio Grande do Sul e do Brasil sabem o que significa. Aos não tradicionalistas, CTG é a sigla de Centro de Tradições Gaúchas, sendo o templo sagrado do culto às tradições gaúchas, não importando em qual querência (Estado ou cidade) isto aconteça. Há muito tempo a tradição gaúcha crusou o Rio Mambituba (divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina, na cidade praiana de Torres) e ganhou o Brasil. E onde tem tradição gaúcha, nasce a sociedade tradicionalista. Por isso temos estas sociedades espalhadas pelo país, em especial em Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Planalto Central (DF), no Norte, Nordeste e Centro Oeste. E isto já aconteceu faz tempo, fora do país, como na América do Norte, Europa e Ásia.

 O CTG e demais sociedades com denominações semelhantes, mas com o mesmo objetivo, são as células iniciais do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), que aqui podemos denominar de Federação (em nível de Estado). Assim existe o MTG do Rio Grande do Sul, onde tudo começou. Além disso, no país temos o MTG de Santa Catarina, do Paraná, de São Paulo, do Rio de Janeiro, do Nordeste (União Gaúcha Tradicionalista do Nordeste), do Mato Grosso, do Mato Grosso do Sul, do Planalto Central e da Amazônia. A estas federações estão filiados os CTGs dos seus respectivos Estados. Além disto temos a Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha (CBTG), onde estas federações estaduais estão vinculadas em nível nacional.

 O CTG, a nível regional se reporta à Região Tradicionalista (no RS são trinta regiões) e a nível estadual, à sua federação, onde segue regras, regulamentos, crenças e valores do tradicionalismo gaúcho.

Mas em termos legais de direito, estas sociedades estão amparadas pelo Código Civil Brasileiro e são denominadas como sendo entidade cívicas, que se mantém sem fins lucrativos, sendo associativas, dedicadas à preservação, resgate e desenvolvimento da cultura gaúcha, com destaque para o nativismo, civismo, cultura regional, literatura, a parte artísica, folclórica e campeira do Rio Grande do Sul. Resumindo, o CTG é uma pessoa jurídica, com CNPJ próprio, sem fins lucrativos, como são as demais entidades de outros gêneros culturais, como as escolas de samba, clubes sociais e esportivos, etc.



2 - S/A - Sociedade anônima é a companhia de capital dividido em ações, e a responsabilidade dos sócios ou acionistas é limitada ao preço de emissão das ações subscritas ou adquiridas (art.1º da Lei das S/A), cujo capital é dividido em ações ou fração, sendo este capital limitado no preço da emissão destas ações.

Diferente de um CTG, a caracterísitica principal de uma Sociedade Anônima é que elas visam lucro, que é o objetivo do vivente se associar numa destas empresas, ou via bolsa de valores comprando ações (quando a sociedade é de capital aberto) ou as que não negociam suas ações na bolsa de valores, sendo estas, empresas de menor porte, geralmente com número inferior a vinte acionistas (as de capital fechado)

 3 - Que atitude a tomar? O que levar para a vida pessoal? Que lição levar para oa futuro?
Família tradicionalista com a educação financeira na ponta dos cascos....

Bueno! Em torno de 95% do universo populacional economicamente ativo deste país, age como um CTG, escola de samba, clube social, esportivo, etc, ou seja, AGEM como uma SOCIEADADE SEM FINS LUCRATIVOS. São estas pessoas que ainda não despertaram para a educação financeira. Não tem um orçamento doméstico, não tem um controle orçamentário diário/mensal. São estas pessoas que compram compulsivamente, se endividam, não progridem financeiramente, vão penar e passar necessidades na velhice e o que é pior, vão culpar o azar, a falta de sorte e até o governo e vivem se queixando....


 No entanto, os que descobriram a educação financeira, se destacam e agem como uma Sociedade Anônima, pois agem como estas empresas que VISAM O LUCRO. Estas pessoas tem o seu orçamento financeiro doméstico diário/mensal. Sempre, antes de pagar os outros, se pagam sempre em primeiro lugar, ou seja, APLICAM com foco parte dos seus ganhos visando a compra de sonhos (à vista e com descontos), que pode ser o carro novo, a casa própria, a viagem dos sonhos, etc, ou a faculdade dos filhos, a própria aposentadoria complementar, dos filhos e até dos netos. São estas pessoas que programam a sua aposentadoria com produtos de previdência privada, ações em bolsa de valores, imóveis que vão gerar renda, etc, pois não vão depender somente do INSS (leia-se: Isso Nunca Será Suficiente), fazendo com que também não dependam na velhice da boa vontade dos filhos e dos genros/noras.

 Bueno! Aos tradicionalistas do meu Rio Grande do Sul e do país, este peão sugere que continuem militando no tradicionalismo gaúcho, fazendo parte das sociedades tradicionalistas, seguindo os preceitos culturais, sociais e cívicos que esta sociedade proporciona aos seus participantes, mas se fazem parte dos 95% dos viventes que NÃO TEM educação financeira, que dêem uma guinada de 360 graus na sua vida e se preparem para o futuro, pra quando a sua aposentaria chegar, nem que para isso faltem trinta anos ou mais, pois, quanto antes o vivente começar a se preparar, menos cobres (dinheiro) vai tirar do bolso da bombacha mensalmente.

Aos demais que vem periodicamente tomar um mate neste sítio, não sendo tradicionalistas, sugere-se a mesma coisa: educação financeira, uma guinada de 360 graus em sua vida financeira visando o futuro pra quando a aposentadoria chegar, com tranquilidade!

Fonte retrato Sociedade Anônima: www.dooutroladodomuro.blogs.sapo.pt.

 Baita abraço

 Tenham todos um bom domingo e uma ótima semana

 Valdemar Engroff - o gaúcho taura!!!!