sábado, 27 de fevereiro de 2010

Ações: a melhor opção para a aposentadoria

Nos Estados Unidos, aproximadamente 50% da população investe em ações – diretamente na Bolsa ou indiretamente, por meio de fundos de ações. No Brasil, essa realidade ainda é um pouco diferente, uma vez que menos de 1% da população tem autorização para comprar e vender papéis na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e os juros sempre foram muito elevados no País, tornando a alternativa de investir em renda fixa favorável.

A tendência, contudo, é que cada vez mais pessoas passem a investir em ações. A queda na taxa de juros é a responsável por essa mudança de quadro.

Assim, para o investidor que desejar retornos maiores em seus investimentos a melhor opção é investir na Bolsa. Para aqueles que querem se preparar para uma aposentadoria tranquila, a Bolsa oferece basicamente três opções: investir diretamente na Bovespa, aplicar em um fundo de investimento em ações ou participar de um fundo de previdência privada (ou pensão) com uma parcela grande de ações.

A aplicação em ações é um investimento para longo prazo e, historicamente, tem um retorno positivo já no médio prazo. Para entender melhor o histórico da Bolsa, consulte o gráfico de desempenho do Ibovespa, o Índice da Bolsa de Valores de São Paulo, desde 1963 a janeiro deste ano. .


Mas lembre-se: ao decidir investir em fundos de ações é necessário se ater às taxas cobradas pelas instituições financeiras.

O FIA Gradual Mulher, fundo de ações criado especialmente para o Espaço Dela, tem uma das taxas mais competitivas do mercado – 1,8% a.a. – e exige o aporte mínimo de apenas R$ 100,00 para começar a aplicar. Para quem está aprendendo sobre o mercado financeiro e deseja se preparar para uma aposentadoria confortável, essa é a alternativa ideal. Entre na nossa página do FIA Gradual Mulher e saiba mais - http://www.espacodela.com.br/fundo_gradual_mulher.htm

*Fundos de Investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos – FGC.A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura.É recomendada a leitura cuidadosa do Prospecto e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Fonte! Chasque publicado no dia 22/02/2010, no galpão virtual Blog Espaço Dela - www.blogsgradual.com.br/espacodela.