domingo, 5 de setembro de 2010

Atitude 18! Encare de frente o orçamento mensal do teu rancho!

Bueno! Comecei a criar as minhas planilhas em excel em abril de 2008. Refiro-me ao orçamento do meu rancho, o orçamento da minha familia, que é de quatro pessoas. Neste anotamos TUDO! Tudo mesmo, tais como:
> Receita - entradas de dinheiro - salários e resgates de investimentos
> Despesas - na medida (no dia) que ocorrem
> Investimentos - todos os itens que nós denominamos como sendo o nosso pagamento (pague sempre primeiro a você mesmo)

No ano passado, além da simples planilha em excel, levo de maneira paralela a planilha DiSOP, que baixei na internet. Bueno! Das inúmeras planilhas que pesquisei, foi a que mais gostei, pois, o seu criador, o Reinaldo Domingues, criou vários grupos de "contas", a saber:
1 - Receitas - salários, resgates de poupança, de renda fixa, de clube e fundo de investimentos, outros;
2 - Ativos - imóveis, veículos;
3 - Metas - todos os nossos investimentos (o nosso pagamento em primeiro lugar);
4 - Residência - todas as contas "contabeis" que compõem as despesas de um rancho (residência), tais como água, luz, telefone, supermercado, manutençao da residência, móveis, etc;
5 - Instrução - todas as despesas com ensino, inclusive o lanche ou o lápis....:
6 - Pessoais - todas as despesas pessoais, inclusive o almoço fora (quando vinculado ao trabalho), os impostos e valores descontados da folha de pagamento, etc.;
7 - Veículo - todas as despesas que o veículo proporciona, começando pelo combustível, passando pela manutenção, IPVA, seguros, inclusive a multa (quando houver);
8 - Outras - despesas direcionadas mais para o lazer e a beleza, pois envolve gastos no salão de beleza, bailes, fandangos, jantares fora, presentes, jogos de futebol, etc.

Mas nem sempre foi assim. Já tive cartão de crédito só por status e para ajudar o meu time (o Grêmio), pois o mesmo fez parceria com uma das bandeiras de cartão de crédito. Comprava em até dez vezes pelo preço à vista, pensando que era vantajoso. E quando numa roda de mate, o assunto era abordado, os amigos diziam  e eu concordava: "a partir do momento que eu começar a anotar os meus gastos, vou enloquecer", ou seja, em vez de encarar o problema de frente com a anotação dos gastos da família, era um motivo para não fazê-lo, uma fuga.

Mas a partir do momento que implantamos o orçamento doméstico, comecei a ler mais os chasques da mídia que tratam sobre economia e finanças, fato que era inimaginável antes de 2008. E como vi que era mais vantajoso comprar à vista, tomei a decisão de me divorciar do meu cartão de crédito, cujo casamento aconteceu em 1993....Claro, o sogro, digo, o banco chiou e me fiz uma penca de propostas, beeeem vantajosas (para o banco), com tempo limitadíssimo de doze meses, ou seja, após este prazo, eu pagaria novamente a anuidade de R$ 60,00 e não concordo sob hipótese alguma, que se pague, 14,99% de juros ao mês por falta de pagamento (nunca foi o meu caso)!

E para incrementar este assunto, no dia 16 de agosto, no portal ZH DINHEIRO, por Gisele Loeblein, publicou o chasque superinteressante, que o vivente poderá acessar abrindo a porteira aqui mesmo clicando em http://zerohora.clicrbs.com.br/especial/rs/zhdinheiro/19,0,3007157,Anotar-despesa-e-arma-de-controle-dos-gastos-pessoais.html

Baita abraço

Valdemar Engroff - o gaúcho taura!