domingo, 30 de agosto de 2015

Depois de se endividar, Nair aprendeu a lição e agora dá dicas de como segurar o orçamento



Moradora do Bairro Lomba do Pinheiro, que no ano passado contou com a ajuda de educador financeiro para sair do vermelho, deu a volta por cima com muita disciplina e organização
Depois de se endividar, Nair aprendeu a lição e agora dá dicas de como segurar o orçamento Adriana Franciosi/Agencia RBS
Atitude e persistência são fundamentais para sair do vermelho, 
aconselha Nair Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

A vida da vendedora de livros Nair Alves Barbosa, 56 anos, do Bairro Lomba do Pinheiro, deu um giro de 180º desde julho do ano passado, quando determinou-se a sair do vermelho com a ajuda de um especialista em finanças pessoais.

Durante cinco meses de 2014, ela foi acompanhada pelo economista Everton Lopes e pelo Diário Gaúcho. Hoje, seis meses depois da última visita do orientador, Nair comprova: atitude e persistência são fundamentais para voltar a ter o bolso cheio.

Nada restou da bacia de plástico repleta de contas a pagar que se acumulavam há meses. Hoje, Nair se divide em duas pastas – identificadas para finanças pessoais e despesas da microempresa que administra.


– Quando você entra e não consegue sair do círculo das dívidas, a vida toda se torna uma bagunça. A minha estava. Organizá-la foi fundamental para dar o pontapé inicial – conta Nair, mostrando ter seguido a primeira regra do educador financeiro.

Mudanças
Economizar em despesas que considerou supérfluas – como cortar as saídas à noite em diferentes dias da semana e o telefone residencial – também ajudou a vendedora de livros didáticos. Os cortes continuaram na energia elétrica, com luzes apagadas e diminuição de 14 para dez lâmpadas em uso, e na água, com torneiras fechadas e banhos com menos tempo do que os 30 minutos usuais. 

– O bom é que até os netos (de 13 e 14 anos, criados por ela) entraram no meu ritmo _ comemora.

Dos quatro cartões de crédito que devia em 2014, resta apenas um, cuja dívida já foi negociada. Pelos cálculos de Nair, a maré vermelha se encerrará de vez antes do final deste ano.

Até a casa sentiu a mudança de ritmo de Nair. Móveis foram trocados de lugar e livros que antes ficavam empilhados por todos os cômodos ganharam espaço único. Mas a mudança maior não ficou na casa da vendedora: foi parar no banco.

Depois de meses de penúria, Nair voltou a ter uma conta poupança em março deste ano. Se, em dezembro do ano passado, ela esboçava a ideia de economizar pequenas quantias no cofrinho improvisado num pote de vidro, a soma ganhou novo destino.

– Todos os meses, separo um pouquinho para colocar na conta. É uma forma de manter meu compromisso de nunca mais ficar atolada em dívidas – afirma, faceira.

Os conselhos de Nair
– Faça um planejamento dos gastos mensais. Vale tabela com os pagamentos a serem realizados e pasta com divisões para colocar todas as notas fiscais do mês. Faça a soma e veja para onde estão indo os gastos.


– Elimine todo e qualquer supérfluo até que as contas estejam em dia: isso vale para festas, jantares fora de casa, passeios sem propósito. Se esforce, pois valerá a pena num futuro próximo.


– Tenha apenas um cartão de crédito, se for preciso ter. Mas só o use quando houver muita necessidade – gastos fora de época, como saúde – e sem ultrapassar um limite que possa ser pago no mês seguinte. Evite os altos juros. 


– Compre à vista. Ou não compre, se não tiver o dinheiro. Pesquise os preços antes de comprar no primeiro lugar que entrar. Pechinche sem ter vergonha.


– Negocie as dívidas com os credores. Não fuja deles! 


Fonte! Chasque (reportagem) publicada no sítio oficial do jornal Zero Hora de Porto Alegre, no dia 15 de julho de 2015. Abra as porteiras clicando em  http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/economia/noticia/2015/06/depois-de-se-endividar-nair-aprendeu-a-licao-e-agora-da-dicas-de-como-segurar-o-orcamento-4781542.html