quarta-feira, 9 de julho de 2014

Como manter, no dia-a-dia, a motivação para as metas de longo prazo envolvendo dinheiro?


Todos nós já caímos nessa “armadilha mental”: sonhamos com a independência financeira, mas temos dificuldade em fazer sobrar dinheiro no final do mês; lutamos para sair das dívidas, mas não conseguimos sair do “zero a zero” mesmo após um mês de intensos sacrifícios; sabemos que devemos forrar uma reserva de emergências bem parruda, mas caímos na tentação de gastar imediatamente em alguma bobagem o dinheiro do salário que acabou de cair na conta. Quem nunca? :-P
Metas
Créditos da imagem: Free Digital Photos
Para manter a motivação necessária para conquistarmos gradualmente as metas de longo prazo envolvendo dinheiro, vale a pena recapitular aqui algumas das excelentes dicas postadas num artigo publicado recentemente no blog norte-americano Get Rich Slowly.

1. Mantenha suas metas visíveis

Assim como tudo o que é medido é melhor controlado, nós precisamos de “âncoras mentais” bem visíveis, que nos façam literalmente “enxergar” os nossos sonhos através de uma coisa palpável e tangível.

E isso é necessário por uma razão muito simples: planejamento de longo prazo envolve explicitamente o adiamento da gratificação, de modo que você precisa saber que estará trocando alguma coisa concreta hoje, ao deixar de gastar, por alguma coisa concreta no futuro.

Tá, e como manter as metas visíveis? Instale um protetor de tela ou um papel de parede na tela do computador com uma imagem da cidade onde você queira morar no futuro. Crie uma senha que lhe faça lembrar de suas metas, por exemplo, Apos3ntAdoEmVanc0uvE#R2028. Coloque no seu chaveiro do carro uma mensagem do tipo “Livre de dívidas forever”. Cole na sua geladeira um ímã dos Alpes Suíços.

O importante é fazer com que sua meta de longo prazo seja parte de seu dia-a-dia, de modo que você faça uma conexão entre aquilo que você faz hoje com a realidade que você deseja viver para seu futuro.

2. Escreva um blog

É sério. Compartilhe com outras pessoas seus desejos de longo prazo com o dinheiro, sejam esses desejos obter uma aposentadoria financeira em 17 anos, ou simplesmente se livrar das dívidas.

E digo mais: isso funciona. Funciona porque você se compromete publicamente a vencer um desafio que só depende de você. E o mais legal é a corrente de solidariedade que se forma em torno de suas metas. As pessoas gostam de se ajudar, é da natureza do ser humano ajudar outros seres humanos que se encontram ou que passaram por situação semelhante.

3. Alterne suas estratégias

Para chegar lá, você precisa basicamente seguir duas estratégias distintas, mas complementares: gastar menos do que ganha, e/ou aumentar a renda. O artigo do GRS sugere que você fique alternando essas estratégias, de modo que, em um mês, você foque mais na contenção de gastos e enxugamento do orçamento doméstico, e, no mês seguinte, concentre esforços em maneiras criativas de aumentar a massa de ganhos, seja por meio de um segundo trabalho, seja por meio de vendas de produtos usados em sites como Mercado Livre ou Bom Negócio.

4. Celebre seu sucesso

Ou, dizendo o mesmo em bom português, “colha algumas cenouras no meio do caminho”.

Metas de longo prazo demoram muito, coisa de anos, talvez de décadas, para serem integralmente cumpridas. Mais fácil – e também mais motivador, sob o ponto-de-vista psicológico -, é decompô-las em metas de curto prazo.

Tem uma dívida monstro de R$ 50 mil para quitar? Estipule uma meta factível – digamos, pagar R$ 10 mil nos próximos 4 meses – e, cumprida essa meta de curto prazo, se dê um presente. Comemore.

Tá, ainda faltam R$ 40 mil pra vencer a bola de neve, mas pense no lado positivo: 20% da dívida já se foi! Você precisa saborear o prazer das pequenas conquistas para sentir que o trabalho feito no dia-a-dia está valendo a pena.

Por isso, não há nada de errado em comemorar vitórias parciais: elas significam que você está virando o jogo da dívida – ou o jogo dos investimentos – e merecem, sim, uma celebração especial, tais como: um par de ingressos naquele cinema 3D “caro pra chuchu” no final de semana, sábado à noite (onde os preços facilmente dobram ou triplicam); um rodízio no melhor estilo “pé na jaca” na melhor churrascaria da cidade etc.

Você se sentirá renovado, premiado e ainda mais motivado para continuar a busca de suas metas de longo prazo.

5. Dê uma pausa de vez em quando

Trabalhar para atingir nossas metas financeiras de longo prazo é importante, mas não pode virar uma obsessão! É saudável, pois, fazer uma pausa de vez em quando, “respirar” e reavaliar quão importantes são essas metas dentro de uma perspectiva mais realista.

Dentro desse período de reflexão talvez surjam outras metas financeiras de longo prazo mais importantes, e quem sabe até novas formas de se lidar com as atuais metas.

Conclusão

Adiar a gratificação e agir, no dia-a-dia, com a mente voltada para o futuro, são desafios que lutam contra nossos instintos mais primitivos de buscar a realização imediata a qualquer preço.

Daí a importância de você estabelecer elos bem firmes com o futuro a fim de se manter motivado para conquistar seus objetivos financeiros de longo prazo, sejam eles quais forem.

O auto-conhecimento aqui assume papel fundamental, e só através de reflexões profundas é que você conseguirá conquistar todos os seus sonhos de longo prazo. Boa sorte!:-D 

Fonte! Este chasque (postagem) foi publicado no dia 07 de julho de 2014 no sítio Valores Reais (Fazendo Famílias Felizes). Abra as porteiras clicando em http://www.valoresreais.com/2014/07/07/via-get-rich-slowly-como-manter-dia-dia-motivacao-para-metas-de-longo-prazo-envolvendo-dinheiro/

.....................................

Nosso comentário no sítio Valores Reais, em resposta a este chasque:

Bueno! As porteiras de educação financeira se abriram mais precisamente em 2008. Mais um menos quando começou a quebradeira e as bolsas desta terra que chamamos de mundo começaram a despencar.....

Primeiro foi via Dinastia Rede (networking). Não permaneci por muito tempo mas absorvi tudo que era apresentado nas palestras (em CDs).

Por uma obra do acaso achei o sítio Dinheirama, com a sua linguagem simples (sem economês)..... e depois muitos outros sítios de educação financeira começaram a aparecer e eu ia abrindo as suas porteiras, inclusive este (Valores Reais)....

Eu estava muito preocupado. Mesmo não gostando de parcelamentos de nada (nem novelas, series, minisséries.... carnês.... nada....), somente eu tinha um Fundo de Pensão, com participação minha e da empresa na sua capitalização.... A esposa nada tinha, nem minhas filhas.....

Começamos com o orçamento doméstico (que não tínhamos), e depois com os investimentos em produtos de previdência privada para fins de aposentadoria..... tudo isso misturado com muita empolgação....

Em 18 de dezembro de 2009 nasceu o primeiro (e o único sítio até o momento), em formato tradicionalista, que trata das finanças pessoais, onde o linguajar predominante é o gauchês (os demais tratam da tradição e da cultura regional do Rio Grande do Sul). Neste dia colocamos nesta terra que chamamos de mundo O BOLSO DA BOMBACHA, com o objetivo de irmos em busca de leituras sobre economia e finanças pessoais.

O nosso chasque (postagem) de abertura: http://www.obolsodabombacha.blogspot.com.br/2009/12/estamos-chegando-galope.html

Posteriormente, começamos a colocar a palavra "Atitude" nos chasques de nossa autoria. Eis o primeiro: http://obolsodabombacha.blogspot.com.br/2010/04/bueno-este-senhor-do-retrato-ao-lado-e.html

Eis último chasque (81º) da nossa autoria: http://obolsodabombacha.blogspot.com.br/2014/05/atitude-81-o-mais-novo-investimento.html.

Tentamos, mesmo abrindo de muitos investimentos em passivos e em prazeres curtos, investir para que tenhamos um pouco menos de miséria na nossa velhice, que está se avizinhando a cada dia que passa, e tentar passar um pouco do que aprendemos, para as nossas duas filhas, que tem uma longa vida pela frente.

Baita abraço

Valdemar Engroff