sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Usar bem o dinheiro: uma lição que se aprende

Dicas de economia para crianças de 6 a 12 anos
Usar bem o dinheiro: uma lição que se aprende Reprodução/Reprodução
Retrato: Reprodução
Neste Dia das Crianças, você já sabe: não adianta mandar cartinha para o Papai Noel nem sair pela casa procurando um ninho escondido pelo coelho da Páscoa. Se você ganhar um brinquedo, um game, um eletrônico, quem tem de pagar a conta são seus pais, avós, tios ou padrinhos. Por isso, é possível que você tenha pedido uma coisa bem bacana e ter ganho outra, que parece mais ou menos. Isso pode ter acontecido porque o que você queria é muito caro ou, neste momento, passa da conta do que seus pais podem pagar. Não ter todo o dinheiro que a gente quer, na hora em que a gente quer, não é só problema. Também pode ser uma chance de aprender a lidar com dinheiro para que nunca falte, especialmente para o que é mais importante. Saber guardar, saber economizar, é uma lição que pode ser divertida e ajudar a tornar sua vida mais fácil no futuro. Veja algumas dicas nesta página.

As dicas:
6 a 8 anos

O PORQUINHO

— Na Páscoa, quando você ganha uma caixa de chocolate, não costuma comer tudo de uma vez, certo? Você guarda parte para mais tarde, quando voltar a ter vontade. Sem saber, está fazendo economia.
— Com o dinheiro é importante fazer o mesmo. Ao guardar todo mês um pouquinho, depois de um tempo você consegue juntar uma quantia maior. Essa economia permite comprar brinquedos melhores no futuro, por exemplo.
— Os lugares mais comuns para começar a guardar dinheiro são os cofres em formato de porquinho, mas uma latinha ou caixa de sapato podem servir.
NO SUPERMERCADO
— Quando você vai ao supermercado com seus pais é provável que tenha vontade de levar várias coisas para casa. Mas não basta só colocar dentro do carrinho, é preciso antes falar com seu pai ou sua mãe para ver se há necessidade.
— É que cada produto tem um preço. Uns custam pouco, outros, muito. Seus pais vão saber dizer se o que você quer é barato ou caro. E antes de ir embora, precisarão passar pelo caixa, que vai cobrar cada um dos objetos no carrinho.

8 a 10 anos

NA PONTA DO LÁPIS

— Antes de ir às compras, é importante fazer um planejamento de gastos. Por isso algumas pessoas fazem listas antes de ir ao supermercado, por exemplo.
— Se gastar muito no início do mês, pode faltar dinheiro para pagar as contas lá no final. Algumas compras exigem cuidados maiores, porque é preciso ainda mais planejamento. É o caso dos animais de estimação. Ao ganhar um cachorro ou gato, é necessário levar em consideração vários gastos: o primeiro é o preço que foi pago ao dono da loja para comprar o bichinho. O segundo é o valor que será gasto para vacinar, comprar ração e brinquedos para ele.

ABRINDO UMA CONTA

— O cofre ou o "porquinho" não são os únicos lugares onde é possível guardar dinheiro. Se você já tem alguma economia, pode pedir para os seus pais para abrir uma poupança em um banco. É uma maneira bastante segura de guardar o seu dinheiro.
— Uma vantagem de ter o dinheiro na caderneta é o rendimento. O banco paga uma quantia para você deixar o dinheiro guardado. Quanto maior o valor que você tem na conta, mais você recebe.

10 a 12 anos

CARTÃO TAMBÉM É DINHEIRO

— O cartão é uma maneira cada vez mais comum de fazer pagamentos. Apesar de ser feito de plástico e ter formato diferente, o cartão também é dinheiro e seu uso exige cuidado.

VIAJANDO PARA OUTRO PAÍS

— Existem diferentes maneiras de pagar. As mais comuns são as moedas, para pequenas quantias, e as cédulas de papel, para valores um pouco maiores. Essas duas maneiras existem há centenas de anos e são utilizadas em praticamente todos os lugares do mundo.
— A maioria dos países tem uma moeda própria. No Brasil, é o real, nos Estados Unidos, o dólar. Outros países preferem ter a mesma moeda. É o caso da França, da Alemanha, da Itália e outras nações da Europa. Todas elas utilizam o euro.
— Cada país só aceita a sua moeda, geralmente. Por isso, quando uma família decide viajar para outro país nas férias, por exemplo, precisa antes comprar a moeda desse país. Se for para Paris, precisa comprar euros. Se for para a Disney, nos Estados Unidos, precisa comprar dólares.
— A casa de câmbio é o local que faz a troca de uma moeda por outra.

Dicas para os pais:

MODELO PARA O FILHO

— Educação financeira começa em casa. As primeiras lições não precisam necessariamente envolver dinheiro. Fechar a torneira ao escovar os dentes, apagar a luz ao sair do quarto e comer toda a refeição são exemplos importantes para evitar desperdícios.
— Dizer não é preciso. Com os estímulos ao consumo cada vez mais fortes, é importante mostrar que nem tudo está ao alcance. Cabe ao adulto ensinar a diferença entre querer e precisar.
— Não misture compras com passeio. As crianças adoram surpresas e encontrar ambientes novos, desde que sejam estimulantes.
— O dia de compras deve ser encarado com responsabilidade. A criança deve aprender a importância de pesquisar os produtos e comparar os preços. É a semente para a criança aprender a planejar seus gastos no futuro.
— As crianças precisam entender como o dinheiro chega em casa. Ao mostrar que trabalhamos e depois recebemos o salário, ajudamos o pequeno a entender a importância do dinheiro.
— Situações de rotina, como compras no supermercado, podem se transformar em uma aula de finanças. Tenha o hábito de sempre carregar uma lista das compras, pois as crianças associam a lista às necessidades de consumo básico.
— Os hábitos e a educação recebida em casa são pontos fortes na formação do pequeno consumidor.

Fonte! Este chasque foi publicado na página eletrônica de Zero Hora de Porto Alegre, no dia 12 de outubro de 2013. Abra as porteiras clicando em http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/economia/noticia/2013/10/usar-bem-o-dinheiro-uma-licao-que-se-aprende-4299010.html