domingo, 20 de outubro de 2013

Do porquinho à mesada, ensine o seu filho a poupar ! ! !

reEspecialista explica que as crianças gostam de lidar com o dinheiro e que a educação financeira tem como objetivo estimular uma boa postura diante do assunto.
 
A fábula da galinha dos ovos de ouro que é atribuída a Esopo, contador de histórias grego que viveu por volta de 600 anos antes de Cristo, é uma lição de educação financeira atualíssima. A análise é do consultor financeiro e sócio-proprietário da Mais Ativos, Álvaro Modernell. A ganância dos donos da galinha, investidores mal orientados, ao matar a ave que punha um ovo de ouro por dia achando que todo seu ventre era de ouro (o que não era) foi um erro clássico de falta de paciência. Essa e muitas outras histórias fazem parte do repertório de educação financeira que o consultor e autor utiliza para orientar um público específico: as crianças.

Alunos de escolas particulares e públicas, professores e educadores seguem os eventos do autor, que já tem sete livros publicados para o público infantil, com mais de 200 mil títulos vendidos. Mas, afinal, o que uma criança do ensino fundamental precisa aprender sobre finanças? “As crianças são filhos e alunos de adultos que não tiveram a experiência adequada de educação financeira, que vieram de uma época de deturpações como a inflação acelerada e a procura do ganha-ganha de vinte anos atrás” diz.

Assim, de acordo com Modernell, a educação financeira infantil não objetiva ensinar a criança a ganhar dinheiro no futuro, ou entender o capitalismo, mas sim a ter uma boa postura diante das finanças. “O foco é na mudança de atitudes e não na busca de técnicas e conhecimentos.” As novas atitudes devem visar determinação, perseverança, paciência e planejamento. Com isso, explica ele, pode ser evitado no futuro o comportamento adulto inadequado de “comprar o que não precisa com o dinheiro que não tem”.

O especialista destaca a importância da mesada ou “semanada”, a partir dois seis ou sete anos de idade, quando a criança já tem noção de quantidade e tempo. Aos seis anos, o recebimento deve ser semanal. Aos nove anos, já pode ser quinzenal. E depois dos 10, 11 anos, deve ser mensal. As mesadas devem ser administradas pela criança, para que ela possa adquirir seu patrimônio – que na maioria dos casos são brinquedos.

O lanche da escola deve ficar fora da mesada, porque é uma despesa ligada à boa alimentação, que não deve ser afetada. O valor da mesada será decidido pelos pais de acordo com o orçamento da casa. “Haverá diferenças entre os colegas de escola e a criança deve aprender a conviver com a diferença.”

Modernell diz que muitos seguem uma fórmula disseminada para a quantia da mesada - um real por ano de idade por semana. (De acordo com a fórmula, uma criança de oito anos deveria receber R$ 8 por semana ou R$ 32 por mês). “Mas eu não a adoto, acho que isso cabe à família.” Os pais devem observar o que a criança faz com a mesada, procurando o equilíbrio entre o comportamento perdulário e o sovina. “É como dar um livro, tem que ler junto.”

O porquinho

Outra dica boa: o porquinho de guardar economias é uma ótima ferramenta nessa faixa etária - ensina o estabelecimento de metas.

O consultor financeiro diz que já há cerca de duzentas escolas com programas de educação financeira em São Paulo. Muitas iniciam a atividade antes do ensino fundamental, na educação infantil. “Os programas são ótimos aliados do ensino de matemática, por exemplo”, afirma.

Para Modernell, as crianças gostam muito de lidar com dinheiro. “Criança gosta de jogos, de sorvete, de chocolate e de dinheiro.” Assim, na escola, a educação financeira funciona com a mesma força da ambiental e da segurança no trânsito. “Aprender a fechar a torneira sem desperdício faz parte da educação ambiental e da financeira, por exemplo.”

Na literatura infantil, há obras diversas sobre o assunto. O autor indica, entre outras, a de Cora Coralina – A menina, o cofrinho e a vovó. E a clássica fábula A Cigarra e a Formiga, reproduzida por La Fontaine.

Fonte! Chasque (postagem) de Eliana Haberli, especial para o sítio As Poupadoras. Abra as porteiras: http://www.poupadoras.com/index.php/cofre-de-noticias/173-do-porquinho-a-mesada-ensine-o-seu-filho-a-poupar-com-perseveranca-e-planejamento