quarta-feira, 25 de julho de 2012

Banrisul entra com força nos fundos imobiliários.



A estreia financiará agências do banco. Próximo foco é o Cais Mauá.

Está na rua o primeiro produto da Unidade de Fundos Estruturados do Banrisul. A largada foi com o FII (Fundo de Investimento Imobiliário) Banrisul Novas Fronteiras, que iniciou captação dia 17 e até 9 de agosto, prazo final, pretende arrecadar R$ 70 milhões. O negócio oferecido a clientes e não clientes foi devidamente aprovado por CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e Bovespa. Os recursos serão investidos na rede de agências do banco, que pagará aluguel por elas em um contrato de dez anos. A remuneração oferecida aos aplicadores é de 8,2% ao ano, mais IGP-M e valorização do imóvel. Já está nas mãos da unidade gestora os locais prioritários para abertura de agências ou terceirização de pontos já existentes. A projeção é de que o total captado seja aplicado em cerca de 40 agências no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, no prazo máximo de um ano e meio. A vantagem para o aplicador (e dono do imóvel) é que não haverá problemas de vacância. O aluguel (e a remuneração, portanto) é certo e seguro. Além disso, a pessoa física é isenta do Imposto de Renda. O banco, por sua vez, ganhará agilidade, pois deixará de enfrentar a burocracia pública para abrir novos pontos, e deixará de imobilizar capital, podendo direcionar mais recursos para sua atividade fim: o mercado financeiro

FUNDOS FUTUROS

Com o apelo ao público, de que não é preciso muito dinheiro para investir em imóveis, o FII Novas Fronteiras aceita captação mínima de R$ 10 mil. Cada cota é de R$ 100. Se as reservas ultrapassarem os R$ 70 milhões aprovados, haverá rateio proporcional ao montante reservado. Para os que eventualmente não consigam aplicar o total pretendido ou aqueles que não dispõem de dinheiro agora, calma: outros projetos virão. O banco já negocia fundos semelhantes com foco na reestruturação do porto da Capital. Mais precisamente, no shopping e no hotel que devem ser erguidos no local.

Fonte! Chasque publicado na edição do dia 22 de julho de 2012, do Jornal O Sul, de Porto Alegre - RS, por Denise Nunes, na sua coluna.

..........................................

Nota do Sítio!

Esta é uma das maneiras fáceis e desburocratizadas que achei para investir em imóveis. Quando quero investir, sempre digo que, "vou comprar uma porta e esta vai me gerar um aluguel mensal", ou seja, não preciso comprar um imóvel, mas um pedacinho dele, em forma de cotas, e, quando precisar vender, vendo todas as cotas ou parte delas.

Além disso, os inquilinos destes imóveis vão pagar o seu aluguel. Não corres o risco de calote, além da grande vantagem perante o leão do imposto de renda, é a não cobrança do imposto sobre este próprio aluguel e investimentos na aquisição de cotas destes fundos.

Quem são estes inquilinos? São empresas, geralmente as grandes empresas. Há fundos imobiliários que tem como inquilinos a Caixa Econômica Federal. Outros tem a Petrobrás, só pra ficar com dois exemplos.

Baita abraço

Valdemar Engroff - o gaúcho taura.