terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Tesouro Direto: ótimo investimento, mesmo com os juros em queda

A taxa de juros do nosso país, depois de subir muito em 2015 e se manter elevada em 2016, agora começa a cair. As expectativas do mercado apontam para mais reduções.
Com isso, muitas pessoas estão com dúvidas se continua sendo interessante investir em títulos públicos do programa Tesouro Direto. Sim, continua sendo interessante; e antes que você pergunte, já vamos te dizer: sempre será melhor que a poupança.

No entanto, ainda tem muita gente com dinheiro na poupança porque não sabe sequer o que são os títulos públicos, como comprá-los, entre outras questões.

Entendendo melhor os títulos públicos

Os títulos públicos são instrumentos financeiros de renda fixa emitidos pelo governo federal. O objetivo do governo é obter dinheiro de qualquer pessoa ou empresa para financiar suas despesas.

Em outras palavras, você “empresta dinheiro” ao governo e ele te devolve este montante depois de um tempo com um adicional de pagamento de juros, que é o seu retorno do investimento.

Todos os títulos do Tesouro Direto têm uma data de vencimento, que é a data em que o Tesouro Nacional quita suas obrigações financeiras com os investidores.

É o dia do resgate do valor do título. Mas isso não quer dizer que você não possa sacar seu dinheiro antes. Sim, você pode. E sabemos que o país está em uma situação bastante complicada, mas o Tesouro continua sendo um ótimo investimento.


Além de ser uma opção de investimento segura, o Tesouro Direto tem outras vantagens:
  • Desde 2015 o Tesouro passou a ter liquidez diária, ou seja, você pode vender no mesmo dia em que decidir fazê-lo.
  • O Tesouro Direto permite programar o investimento, o que ajuda na disciplina para investir. Em contato com o banco ou com a corretora, você pode programar uma espécie de “débito automático”, ou “aplicação automática”.
  • O rendimento do investimento é bom. Como o Brasil ainda tem uma inflação alta, os títulos do Tesouro que acompanham tal índice pagam bem.
  • É bem fácil de aplicar e você pode fazê-lo por conta própria. Você precisa apenas ter uma conta em um banco ou em uma corretora para começar.

Elimine todas as suas dúvidas

O site oficial do Tesouro Direto é bastante claro e explica detalhes sobre seu funcionamento.

Você pode olhar os títulos atualmente disponíveis para compra, como o Tesouro IPCA+ (que antes se chamava NTN-B) ou o Tesouro Selic (que antes se chamava LFT).  Não se assuste com os preços de compra, é possível comprar apenas uma fração dos títulos.

Agora você já sabe um pouco mais sobre os títulos públicos, mas ainda pode haver algumas dúvidas:
  1. Quais são os riscos do Tesouro Direto?
  2. Devo investir pelo banco ou pela corretora?
  3. Por quê o Tesouro é melhor que a poupança?
  4. Qual é o melhor título para eu comprar?
Hoje você vai encontrar essas respostas e algumas outras no relatório especial (e gratuito) sobre Tesouro Direto, que disponibilizamos para você.

Para acessá-lo, basta clicar aqui e seguir as instruções para obter a sua cópia, afinal, construir riqueza depende do seu planejamento e das suas escolhas sobre onde investir e como poupar. Desejamos à você uma vida próspera!

Nota: Esta coluna é mantida pela Empiricus, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Fonte! Chasque (postagem) da Empiricus Research, publicado no sitio Dinheirama, em 14 de janeiro de 2017. Abra as porteiras clicando em