terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Gaúchos vão movimentar R$ 11 bilhões com pagamento do 13º salário

Especialistas orientam para um melhor uso do bônus que entra na economia a partir desta segunda

Mais de R$ 173 bilhões serão injetados na economia com o pagamento do 13º salário, segundo o Dieese. Só no Rio Grande do Sul serão R$ 11 bilhões. Basicamente os caminhos para uso do dinheiro são quatro a partir desta segunda, quando é paga a primeira parcela: pagar dívidas, comprar presentes para si e para os outros, guardar para pagar despesas de início de ano ou ainda investir. Pesquisa do SPC Brasil e CNDL mostra 57 milhões de brasileiros com o nome registrado em cadastro de devedores, o que significa 38,9% da população adulta.

O presidente da DSOP Educação Financeira, Reinaldo Domingos, assinala: “Só 5% dos brasileiros poupam. Os demais, ou estão com as contas equilibradas ou com dívidas.” Ele orienta os trabalhadores a aproveitar o 13º para rever a situação financeira. “Talvez destinar parte para o pagamento de contas e outra para a poupança, prevendo uma viagem futura”, sugere. Para o professor de economia da Faculdade Mackenzie Rio Marcelo Anache, a antecipação do 13º pode ser uma boa opção para quitar débitos, desde que as taxas sejam vantajosas. O economista da FEE Guilherme Stein também é favorável à quitação de dívidas. “É prudente que qualquer ganho adicional que o trabalhador tiver seja usado para quitar dívidas pendentes”, concluiu.

Compras devem ser bem planejadas
Engana-se quem acredita que boa parte do 13º salário não irá parar no comércio, apesar das dicas dos especialistas em investimentos. Segundo o SPC Brasil, quatro em cada dez brasileiros pretendem usar parte do bônus em presentes. A recomendação é que as compras de final de ano sejam bem pensadas e bem planejadas, evitando a criação de dívidas futuras.
Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, a dica é optar pelo pagamento à vista, mas se o parcelamento for inevitável é melhor adotar poucas parcelas, além de presentes mais baratos, como as famosas lembrancinhas. “Com o dinheiro na mão, o ideal é negociar descontos atrativos nas lojas”, observa. O presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, admite que o consumidor está cauteloso e diz que o comerciante precisa fazer sua parte com promoções, opções de pagamento e atendimento diferenciado: “O consumidor na última hora não vai se privar de gastar. Talvez só gaste menos”. A Associação Gaúcha de Supermercados estima que esses estabelecimentos ficarão com 20% do valor que será injetado na economia.


Fonte! Chasque (matéria) veiculado no sítio oficial do jornal Correio do Povo de Porto Alegre (RS), no dia 28 de novembro de 2015. Abra as porteiras clicando em http://correiodopovo.com.br/Noticias/Economia/2015/11/573272/Gauchos-vao-movimentar-R-11-bilhoes-com-pagamento-do-13-salario-