terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Aposentados do INSS que ganham acima do salário mínimo terão reajuste de 10,37% no ano que vem

Com a previsão de elevar o teto previdenciário, as outras faixas salariais também serão mexidas a partir de 2016. (Foto: Gustavo Roth/Folha Imagem)
Com a previsão de elevar o teto previdenciário, 
as outras faixas salariais também serão mexidas 
a partir de 2016. (Foto: Gustavo Roth/Folha Imagem)
Os 28,2 milhões de aposentados, pensionistas e segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que recebem algum tipo de auxílio previdenciário em todo o País entrarão o ano novo com benefícios reajustados. Tanto quem ganha o salário mínimo, cerca de 21 milhões de pessoas, quanto os segurados com benefícios acima do piso – 9 milhões de pessoas – terão os valores corrigidos a partir de janeiro.

Pela proposta orçamentária para 2016, a previsão é de elevar o salário mínimo de 788 reais para 870,99 reais. Segundo a previsão do governo, o INPC fechará 2015 em 10,37%. Com isso, o teto da Previdência subirá dos atuais 4.663,75 reais para 5.147,38 reais. O percentual de aumento para quem recebe acima do piso é baseado na inflação acumulada de janeiro a dezembro deste ano.

Ao enviar a proposta de Orçamento de 2016 para o Congresso em agosto deste ano, o governo federal trabalhava com a estimativa de aumentar o mínimo para 865,46 reais, considerando a fórmula de valorização do piso.

O mecanismo determina que a correção leve em conta a inflação acumulada do ano anterior acrescida à variação do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes, no caso o resultado de 2014 é de 0,1%. Com a previsão de aumentar o teto previdenciário, as outras faixas salariais também serão mexidas a partir de 2016. Assim, quem recebe hoje dois salários mínimos (1.576 reais) passará a ganhar 1.739,43 reais. (AD).

Fonte! Chasque (matéria) veiculado no sítio oficial do jornal O Sul (online), no dia 30 de novembro de 2015. Abra as porteiras clicando em  http://www.osul.com.br/aposentados-do-inss-que-ganham-acima-do-salario-minimo-terao-reajuste-de-1037-no-ano-que-vem/