sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Atitude 74! Cooperativa de Crédito Mútuo CRESAL comemora 30 anos!

Símbolo universal do cooperativismo
Bueno! A ONU escolhei o ano de 2012 para ser o ano internacional do cooperativismo e no nosso meio, elas atuam nos mais diversos ramos da economia, em especial aqui no Estado do Rio Grande do Sul. 

E de acordo com o chasque (reportagem) publicado no jornal Correio do Povo de Porto Alegre (RS), na edição do dia 07 de julho do ano passado, "as cooperativas respondem por 37,2% do Produto Interno Bruto (PIB) e cumprem um papel fundamental no desenvolvimento do país. No Brasil, cerca 33 milhões de brasileiros estão envolvidos com as atividades do sistema em 13 áreas de atuação, sendo que 10 milhões se envolvem diretamente com as 6.586 cooperativas em atuação em todo o território nacional".  

E segundo este mesmo jornal, "No Rio Grande do Sul, o quadro é também alentador. São cerca de 2 milhões de associados, gerando 52 mil empregos diretos e apresentando um faturamento de R$ 27 bilhões por ano. É um setor dinâmico que gera grande parcela de tributos que são recolhidos ao Erário.O cooperativismo, marcado pelo associativismo, mostra-se cada vez mais como um protagonista das economias gaúcha e brasileira. Por conta de sua contribuição, deve ser estimulado e receber a devida atenção do poder público".

E um dos segmentos que mais prosperou no Rio Grande do Sul, além das cooperativas de produção - em especial do ramo do agronegócio, é o cooperativismo de Crédito e Nova Petrópolis leva título de "Capital Nacional do cooperativismo", regulamentado pela lei federal 12.205/2010, e apresenta um roteiro histórico-cultural, que reconstitui os passos do Cooperativismo na região, iniciados em 1902 pelo Padre Theodor Amstad, através da fundação da atual Sicredi Pioneira, a mais antiga cooperativa de crédito da América latina.

E em termos de crédito mútuo, podemos definir que "o seu quadro social é formado por pessoas que exerçam determinada profissão ou atividades comuns, ou estejam vinculadas à determinada entidade e, excepcionalmente, por pessoas jurídicas que, na forma da lei, se conceituem como micro ou pequena empresa que tenham por objeto as mesmas ou correlatas atividades econômicas das pessoas físicas ou, ainda, aquelas sem fins lucrativos, exceto cooperativas de crédito". Esta é uma definição que colhemos no sítio da Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo).

E neste segmento cooperativo nós enquadramos a CRESAL. E de acordo com a sua história, "em 20 de dezembro de 1983, formou-se na sede do escritório da Central ASCAR EMATER RS a CRESAL, (Cooperativa de Economia Crédito Mútuo dos Servidores da ASCAR/EMATER/RS Ltda.), com objetivo de solucionar problemas financeiros e creditícios de seus associados. A realização da Assembleia geral Ordinária de Constituição da Cooperativa, deu-se com a assinatura de 61 pioneiros que, com visão de futuro, assinaram a Ata e integralizaram o montante de CR$ 7.012,00 (sete mil e doze cruzeiros), como quotas-capital, para dar inicio à formação do capital social". 

Portanto, o ano de 2013 é o ano do trigésimo aniversário desta pujante cooperativa de crédito mútuo, da qual faço parte deste 1993, onde o produto financeiro principal oferecido ao seus mais de 600 associados sempre foi o Empréstimo a juros módicos, prazos flexíveis, sem burocracia, atendimento personalizado e agilidade na liberação dos cobres (dinheiro/crédito).

Praticamente construí meu rancho (casa) com os valores que a CRESAL me emprestou. Levei dez anos para terminar o meu rancho e não precisei utilizar o Sistema Financeiro da Habitação, onde deveria penhorar o meu nome por até trinta anos e onde, pagaria no mínimo duas vezes o valor venal da casa construída (pronta para morar). Em dez anos, depois de vários e sucessivos empréstimos pagáveis entre 18 e 24 meses, meu rancho estava pago e terminado.

E, como dizem os estatutos, em março do ano seguinte, em Assembleia Geral, as SOBRAS são divididas entre os seus associados. As sobras são distribuídas para:
1 - Remunerar o capital social de cada associado;
2 - Remunerar os associados tomadores de empréstimos;
3 - Remunerar os associados aplicadores.

Isto quer dizer que, uma pequena Cooperativa como a Cresal, pode ser a solução para os seus associados, pois ali tu és "dono", de acordo com a quantidade de cotas-capital que tu tens.

Hoje a Cresal também oferece o produto Aplicação, em duas modalidades: depósito avulso e o depósito programado (mensal), onde o associado tem a opção de aplicar o seu dinheiro que lhe rende juros e correção, com base no CDI. Também tem os empréstimos com taxas diferenciadas para quitar com vantagens o IPTU, IPVA e seguros.

E mais recentemente, tem um plano de convênio médico, via UNIMED, direcionado para filhos de associados, que não são contemplados pelo plano Unimed que a empresa oferece (onde o limitador é a idade: 21 anos ou 24 anos quando for acadêmico universitário).

Além disso criou a Central de Seguros Cresal, onde oferece a preços diferenciados, entre outros, o seguro para veículos, de vida, residencial e a previdência privada

Visite o sítio da CRESAL. Abra as porteiras clicando em www.cresal.coop.br.

Valdemar Engroff - o gaúcho taura