terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Gaúcho Taura e ponderações....

Tchê, esse post foi inspirado no seu comentário, para retribuir o mate! Então, continue aparecendo Valdemar.

E para quem quiser conhecê-lo basta fazer um passeio acessando "O Bolso da Bombacha" (http://www.obolsodabombacha.blogspot.com/) e conhecer um gaúcho taura mesmo, daqueles que já conseguiu domar o consumo e atualmente leva com rédeas muito curtas àquele que é um tormento para muitos.

Contou nosso amigo que em 23 anos de casado parou na quinta cafeteira. Isso me fez lembrar das inúmeras que já tive, inclusive uma de café expresso e a coisa não para por aí, pois estava sonhando com uma cafeteira cujo design é maravilhoso.

Gostou do passado? É que não quero mais, lembrei de um pó para capucino especial que comprei e o sabor é o mesmo do capucino feito naquela tão sonhada cafeteira, logo, não há razão para mais uma candidata à obsolência programada (por durar pouco) ou ao lugar da prateleira de menos acesso (pelo pouco uso).

No chasque de hoje, Valdemar contou como chegar de R$ 1.000 a um milhão rapidinho, muito instrutivo o texto e em relação a isto ouvi uma história engraçada semana passada. O gerente do banco passou no meu trabalho e no meio da conversa contou que havia atendido uma moça que disse:

- Sou muito esperta com o cartão de crédito! Se eles dizem que posso pagar o mínimo, é claro que pago o mínimo, jamais o valor integral!

Esse gerente esclareceu a incauta moça quanto aos juros e espero que tenha aprendido que cartão de crédito somente vale a pena se você quitar a fatura de forma integral, no vencimento, porque parcelar resulta em um dívida impagável.

Pois é. Nosso gaúcho taura nem cartão de crédito não usa mais, somente notas na guaiaca. Não tenho essa pretensão e por uma razão muito simples, jamais parcelei o cartão de crédito, somente o utilizo quando o preço a vista é o mesmo para pagamento com cartão e ainda utilizo os pontos na troca por milhas, tendo a possibilidade de algumas passagens aéreas sem qualquer pagamento.

As milhas já resolveram muitas situações. Em uma delas, o valor da passagem era astronômico, em razão da urgência precisava ser emitido o bilhete naquele dia e com as milhas terminei por não desembolsar qualquer valor. Também já serviram para diminuir a despesa em determinado mês, acho que já falei que tenho uma filha que mora em outra cidade, então, passagens são sempre bem vindas.

Menciona esse gaúcho, em comentário feito a um post que escrevi, sobre a coleção de discos de vinil, posteriormente substituída por coleção de cd's, prometendo não mais fazer coleção desse tipo. Cai nessa armadilha também, embora não tenha feito coleção de discos de vinil, pois quando passei a ter condições de comprar já estavam surgindo os cd's e vhs, depois dvd's, então terminei com coleção desses.

Hoje em dia podemos assistir e ouvir tudo que quisermos bastando procurar na internet, sem qualquer custo e sem precisar disponibilizar local para armazenamento, o problema está nos resquícios do passado. Tenho muitas filmagens em vhs e sequer tenho aparelho para assistir, já pensei em passar para dvd, entretanto, agora a mídia é blu-ray.

Realmente uma grande loucura, nem mesmo as memórias podem ser guardadas adequadamente e arriscamos perder momentos importantes em decorrência de toda essa evolução tecnológica.

Quanto ao carro, resta-me admirar o amigo! Preciso por questões de saúde de carro automático, penso que já contei as razões por aqui e não pretendo ficar falando de problemas de saúde - já percebi que tenho essa mania e quero perder. Então, considero item necessário, útil, imprescindível e termino por ceder mesmo aos apelos, design e tudo mais, confissões que também já foram feitas em várias postagens.

Ressalvo, apenas, que jamais financiei um carro e sempre investi (sim, carro é investimento segundo um economista e a gente grava aquilo que quer se convencer, menciona ele o bem-estar e outras coisas) quando não havia prejuízo para os outros investimentos ou família.

Há algum tempo aprendi sobre o "pague-se primeiro" e não abro mão desse procedimento que tem rendido ótimos frutos. Muitas pessoas mencionam que não é possível pagar-se e argumentam que os valores sequer são suficientes para o pagamento das contas do mês.

Li um dia desses sobre um rapaz que ganhava salário mínimo e sempre reservou 10% do valor recebido para investimentos. Quando casou, convenceu a esposa a fazer o mesmo com o que recebia. O resultado foi que já possuem casa própria e, devagar, vão realizando sonhos.

É possível sim economizar antes de pagar as contas, bastando ter menos dívidas e deixar um outro supérfluo somente na vontade.

Para encerrar, ontem passei uma situação no mínimo bizarra. Estava no shopping apenas para almoçar e passei por uma joalheria que amo. Olho a vitrine e lá estavam jóias em promoção com preços inacreditáveis para esse local. Comecei a passar mal, olhos ardendo, terminei indo para casa. Depois que passou o surto, tentei encontrar qual a razão para isso, pois quase perdi o "ano sem compras" por uma grande bobagem, por uma "pechincha" que talvez nem existisse, por mais um produto que ficaria guardado, enfim, por algo que não preciso. Nenhuma razão encontrei por esse fascínio por jóias e quando achar alguma razão prometo escrever por aqui.

Um abraço Valdemar, para ti e para tua família e continue aparecendo para um chimarrão! Parabéns por essa linda história de amor que completará 23 anos!

Fonte! Este chasque é de Ziula Sbroglio, publicado em seu sítio, no dia 16 de janeiro de 2012. Para acessar, abra as cancelas clicando em http://ziulasbroglio.blogspot.com/2012/01/gaucho-taura-e-ponderacoes.html.

.........................................

Nota do O Bolso da Bombacha! O chasque acima, da autora, nasceu das ponderações que colocamos em outra postagem neste mesmo sítio. Para ler este chasque e as nossas ponderações, abra as cancelas clicando em http://ziulasbroglio.blogspot.com/2012/01/reacao-obsolencia-programada.html#comment-form.

Ziula! Muito obrigado e continues firme com teus propósitos transcritos no teu sítio "HORA DE MUDAR - Simplesmente quebra de paradigmas! Um ano sem comprar!" - http://ziulasbroglio.blogspot.com/.

Baita abraço

Valdemar Engroff - o gaúcho taura