terça-feira, 9 de setembro de 2014

O Comércio Tradicionalista

O comércio tradicionalista aposta em aumento de 12% nas vendas para a data farroupilha. A menos de duas semanas do 20 de setembro e com o movimento gerado pela Expointer, as lojas tradicionalistas de todo o Estado já registram importante acréscimo nas vendas. “Assim como o varejo em geral tem no mês de dezembro seu melhor período, agosto e setembro ganham destaque para o comércio tradicionalista e representam o Natal do segmento”, compara o presidente da AGV, Vilson Noer. Com ticket médio de R$ 150, o item mais procurado pelos consumidores é a bombacha, os trajes infantis masculinos (bombacha, camisa, lenço, chapéu e bota) e femininos (vestido de prenda).

Fonte! Chasque de Affonso Ritter, publicado em sua coluna O Observador, no Jornal do Comércio de Porto Alegre (RS) edição do dia 09 de setembro de 2014.

......................................

Nota do sítio O Bolso da Bombacha!

Este sítio é o primeiro (e talvez o único) que trata as finanças pessoais no linguajar gauchesco.

O mês farroupilha para o tradicionalista (consumidor), para o bolicheiro (comerciante) e para a indústria tradicionalista (confecção de artigos, como as tradicionais vestimentas - as bombachas e os vestidos de prendas; calçados - as botas, as alpargatas, os chinelos campeiros, as sapatilhas, etc.) de artigos típicos podemos comparar em termos de negócios (vendas) com as principais datas comemorativas (dia das mães, pais, crianças, etc.).

Aproveitamos a oportunidade, para colaborar com os dados do colunista Affonso Ritter, para trazer o chasque de abertura deste sítio, em 18 de dezembro de 2009. Basta abrir as porteiras clicando em: http://www.obolsodabombacha.blogspot.com.br/2009/12/estamos-chegando-galope.html

Este chasque inaugural (postagem) nos dá uma noção do mercado tradicionalista, que gera um segmento de economia, movido por dinheiro, o ano todo..., tendo o ápice em agosto / setembro, no denominado mês farroupilha. Além disso nos alerta para que a nossa bombacha não fique só nos panos (sem dinheiro e/ou com dívidas....).

Baita abraço

Valdemar Engroff